Um dos capítulos mais vexatórios do futebol brasileiro, envolvendo o Santos, completa 16 anos

Foto: Fernando Santos/Folhapress)

O dia 13 de outubro de 2021 marca 16 anos de do estopim de um dos maiores assaltos sofridos pelo Santos Futebol Clube.

Mas para explicarmos isso, precisamos voltar para o dia 31 de julho de 2005, quando o Peixe, com show de Giovanni, que marcou dois gols, venceu o Corinthians por 4 a 2 na Vila Belmiro, pela 16a rodada do Campeonato Brasileiro.

No entanto, a partida foi apitada por Edilson Pereira de Carvalho, que pouco tempo depois foi pego em um escândalo de manipulação de resultados, no qual um dos times favorecidos era o Corinthians.

No entanto, ainda que o clube do Parque São Jorge tenha sido derrotado pelo Santos, o confronto foi remarcado para o fatídico dia 13 de outubro de 2005.

O Santos ainda estava vivo na busca pelo bicampeonato brasileiro consecutivo, mas era o adversário quem liderava o Brasileirão.

Com um gol de Claudio Pitbull, o Peixe saiu na frente. Mas Betão empatou para o Corinthians ainda no primeiro tempo. O Santos passou a frente do placar aos 25 minutos do segundo tempo, com Luciano Henrique. Os corintianos empataram dois minutos depois, com Nilmar.

E foi o próprio Nilmar o pivô do lance que levaria a torcida santista a loucura, aos 42 minutos do segundo tempo. Em uma dividida com Zé Elias, o árbitro Cleber Wellington Abade marcou um pênalti inexistente, que foi convertido por Carlos Alberto.

Após o tento do Corinthians, o maestro Giovanni, que havia brilhado no jogo que foi anulado, revoltado, chutou a bola para as arquibancadas e a nação santista não se conteve.

Houve invasão de campo e muito protesto vindo das arquibancadas.

Quarto árbitro daquela partida, Rodrigo Braghetto que encerrou a carreira em 2013, disse que pensou que iria morrer no dia.

“Vi uma torcida ensandecida balançando o alambrado, quase mordendo as grades, aos gritos de “Uh, vai morrer! Uh, vai morrer!”. Eu fiquei com muito medo, os caras estavam cheios de ódio. E quando alguns torcedores começaram a invadir o campo e a polícia não conseguiu conter, eu pensei “É hoje que a gente vai morrer mesmo”. Aquele jogo de 13 de outubro de 2005 foi o mais difícil da minha vida”, disse em entrevista ao canal Peleja.

O caso que ficou conhecido como “Máfia do Apito” fez parte de uma série de denúncias publicadas pela Revista Veja, em 2005.

Por fim, o Corinthians se sagrou campeão brasileiro, com outros sucessivos erros de arbitragem ao seu favor. E o maior prejudicado foi o Santos.

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Portal Santos News© 2022. Todos os Direitos Reservados.