O SANTOS SEGUE VIVO NA LIBERTADORES

Alvinegro renasce das cinzas na competição continental e depende única e exclusivamente de suas forças para avançar as oitavas da Libertadores da América

O Santos tem uma capacidade de se reinventar absurda. Depois de um final de semana de aflição com a possibilidade de queda para a Série A-2 do Paulistão e virtualmente eliminado com duas derrotas seguidas nas primeiras rodadas da Libertadores da América, a equipe conquistou uma vitória maiúscula na estreia do técnico Fernando Diniz no comando do time – com direito a expulsão do mesmo no seu primeiro jogo. Na noite desta terça-feira (11),  alvinegro venceu o Boca Juniors por 1 a 0 na Vila Belmiro e assumiu a segunda posição do Grupo C da Libertadores. 

Para coroar a noite com chave de ouro, o líder do grupo com nove pontos, o Barcelona de Guayaquil, perdeu na altitude de La Paz para o The Strongest em La Paz por 2 a 0. Com isso, os equatorianos seguem em primeiro, mas pararam nos nove pontos, seguidos pelo Glorioso da Vila, em segundo, com seis, os mesmos dos Xeinezes, – porém, os argentinos tem os mesmos seis pontos, mas o Peixe supera o rival no saldo de gols ( 2 a 1), com o time boliviano com três pontos, e todos os times na briga por duas vagas nas oitavas de final, com duas rodadas para acontecer.

Óbvio que ainda não foi possível ver o dedo do novo comandante técnico – Fernando Diniz, apesar do goleiro João Paulo, ter dito que a jogada do único gol do jogo, ter sido ensaiado no único treino do time, na véspera do duelo, mas senti um Santos com garra e sem medo de errar na hora de atacar.

A formação titular foi a mesma do jogo diante do São Bento. Marinho, conforme o Blog antecipou com exclusividade na sexta-feira (7) passada, ficaram de fora. O Boca Juniors deixou o Santos propor o jogo, mas foi mais perigoso.Tévez perdeu gol incrível, no começo do jogo.

Aos 41 minutos, Kaio Jorge recebeu bom passe em profundidade de Pará e cruzou rasteiro para trás. A lógica era de que a bola fosse na parte central para Lucas Braga, mas o camisa 9 encontrou o lateral-esquerdo Felipe Jonatan que deu um drible desconcertante no zagueiro Izquierdoz e chutou no canto direito do gol, sem chances para Rossi.

Após o intervalo, o árbitro uruguaio Christian Ferreyra deixou de assinalar um pênalti clarissimo para o Santos. Kaio Jorge recebeu na área e na hora do chute, Izquierdoz tirou a bola com a mão e mudou a trajetória da mesma. O juiz assinalou só escanteio. Sem o VAR na fase de classificação, o alvinegro foi muito prejudicado.

O ala Buffarini, com passagem pelo São Paulo entre 2016 e 2017, sofria com os dribles de Lucas Braga no setor esquerdo do ataque santista.

O jogo era tão disputado que deu tempo de Diniz e o técnico do Boca, Miguel Ángel Russo, serem expulsos após reclamações.

No último terço do confronto, o Santos recuou para tentqar o golpe de misericórdia no contra-ataque, porém, o contra-golpe não aconteceu. O Boca pressionou, mas o Santos conseguiu manter o resultado.

Na próxima terça-feira (18), o alvinegro praiano volta a campo pela Libertadores diante do The Strongest em La Paz, às 19h15. O Boca Juniors recebe o Barcelona de Guayaquil na quinta-feira, dia 20.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 1 x 0 BOCA JUNIORS

Estádio da Vila Belmiro – Santos

Árbitro: Christian Ferreyra (Uruguai)

GOL: Felipe Jonatan, aos 40min do 1ºT

Cartões amarelos: Ângelo, Jean Mota, Villa, Buffarini, Lucas Braga, técnico Fernando Diniz, técnico Miguel Ángel Russo e Kaio Jorge

Cartões vermelhos: Fernando Diniz (técnico) e Miguel Ángel Russo (técnico)

SANTOS: João Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan (Copete); Vinícius Baliero, Jean Mota e Gabriel Pirani (Kevin Malthus); Ângelo (Madson), Kaio Jorge e Lucas Braga. Técnico: Fernando Diniz

BOCA JUNIORS: Rossi; Buffarini, Lisandro López (Rojo), Izquierdos e Fabra; Medina (Maroni), Valera, Almendra; Pavón, Tevez (Soldano) e Villa. Técnico: Miguel Ángel Russo

O jogo marcou a estreia de Fernando Diniz como técnico do Santos. Fonte: Ivan Storti/SantosFC

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS 

João Paulo: Boa saída de bola. Nenhuma grande defesa. – 6,5

Pará: Bem na defesa e ótimo passe na construção da jogada do primeiro gol. – 7,0

Kaiky: Com exceção da primeira jogada em que Tevéz finaliza ao gol e perde chance incrível, o ex-corintiano deve estar no bolso do jovem santista. Tem velocidade, ótimo passe e tomadas de decisões acertadas. – 8,0

Luan Peres: Como diz meu amigo, empresário do ramo automotivo – Alan Otacílio, o arroz com feijão bem temperado. – 6,5

Felipe Jonatan: Marcou demais. Não perdeu uma jogada no mano a mano. Golaço. Calma e eficácia no único gol do jogo. – 8,5

(Copete): Fiquei temoroso com sua improvisação. Me enganei. Entrou bem e deu conta. – 7,0

Baliero: Estava sem função no começo do jogo, em razão da propositura do adversário. À partir do momento, em que o alvinegro abriu o marcador, teve que se movimentar bastante. – 6,5

Jean Mota: Marcelo Fernandes achou sua posição. Foi bastante participativo. – 7,0

Pirani: Demorou um pouco para entrar no jogo. Depois conseguiu acelerar o jogo na meia-cancha. – 6,5

(Kevin Malthus): Pouco tempo em campo. – SEM NOTA

Ângelo: Muita personalidade, mas tomou algumas decisões erradas. Tudo normal para um menino de apenas 16 anos de idade. – 6,0

(Madson): Participou pouco tempo da partida. – SEM NOTA

Kaio Jorge: Um dos melhores do jogo. Saiu da área, abriu espaços, fez tabelas, realizou o pivô e foi garçom na assistência a Felipe Jonatan. – 8,5

Lucas Braga: Acabou com o ala Buffarini. Um dos melhores do jogo. – 8,5

Técnico: Fernando Diniz – Boa estreia. Segundo João Paulo, a jogada do gol foi ensaiada. Foi expulso por reclamação. – 7,0

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Portal Santos News© 2021. Todos os Direitos Reservados.